Tech

Celular de vestir – Conheça os “Smartwatches”

Celular de vestir – Conheça os “Smartwatches”

O desejo tecnológico do momento são os Smartwatches, dispositivos utilizados como relógio comum, mas com funcionalidades que vão além de mostrar as horas.  Câmera, altímetro, bússola, chamadas telefônicas, touchscreen, navegação GPS, visualizador de mapas, calendário eletrônico, acesso à internet, player de música e vídeo… Essas são algumas das variadas funções que os gadgets de pulso estão trazendo para o nosso dia-a-dia.

Empresas do mundo todo estão investindo pesado para desenvolverem seus próprios smartwatches, afinal, é algo prático, que está sempre a mão (no pulso, no caso) e acaba se tornando uma maneira de se comunicar muito mais simples que os smartphones comuns. E as estratégias de cada uma estão bastante interessantes: desde relógios com uma série de pulseiras que respondem a comandos de voz e até com temas personalizáveis, como esses Mickey-Ponteiros do Apple Watch:

apple-watch-mickey-mouse

Mas se você pensa que o conceito dos gadgets de pulso é recente, você se enganou. Há muito tempo filmes de espionagem antigos e desenhos animados já traziam equipamentos bem similares aos smartwatches que conhecemos hoje. O detetive das tiras de quadrinhos, Dick Tracy, já possuia um rádio de pulso de “duas vias,” sendo considerado o avô dos smartwatches modernos. A sobrinha do Inspetor Bugiganga, Penny, desde 1984 já usava um relógio  conhecido como “relógio das utilidades”, com a capacidade de videoconferência wireless que se assemelha muito aos smartwatches que vemos ser lançados todos os dias.

Sophie-smartwatch

 

Como funciona?

O smartwatch é uma extensão de um smartphone comum. Através da integração  dos dispositivos via conexão bluetooth, é possível visualizar notificações de aplicativos do celular, como Facebook e Twitter, rodar jogos simples e até receber orientações por meio de seu GPS interno. O smartwatch também vibra caso você esteja recebendo uma ligação e seu celular esteja perdido dentro da sua mochila ou bolsa, por exemplo. Graças a isso, você pode recusar a chamada ou até atendê-la, dependendo do modelo de relógio que você possua.

micheltelo

Prós e contras

Existem opiniões bastante divergentes a respeito dos smartwatches. Conheça os prós e contras desse dispositivo:

PRÓS:

  • Ótima saída para você verificar suas notificações em um ônibus ou metrô lotado sem ficar se contorcendo para tirar  o celular do bolso ou da mochila;
  • Te ajuda a não perder aquela ligação importante por causa do barulho ou porque você simplesmente colocou o celular no silencioso e esqueceu de ativar a opção “vibrar;
  • A conexão com a internet permite que você receba informações rápidas de seu interesse direto no seu pulso;
  • Parece ser tão prático quanto um morfador dos Power Rangers (só falta fazer morfar mesmo);

CONTRAS: 

  • A tela pequena muitas das vezes dificulta manusear o dispositivo pelo touchscreen;
  • A necessidade de ficar sempre conectado via Bluetooth faz com que as baterias, tanto do celular quanto do relógio, durem menos tempo;
  • O custo-beneficio pode não ser lá essas coisas: o modelo mais barato do Apple Watch, por exemplo, foi anunciado pela bagatela de US$ 349, fazendo com que custe salgados R$ 1.090 em conversão direta, de acordo com a cotação atual da moeda americana. Com essa grana dá para comprar um smartphone razoável.

De qualquer forma, os smartwatches estão chegando para ficar e ainda virão com uma série de novidades pela frente. Então qual será o próximo passo? Depois dos óculos Google Glass e dos Smartwatches qual gadget tecnológico que vamos vestir?

 

Click to add a comment

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Tech
@leomontalvao

Goiano com sangue baiano e sobrenome europeu. Viciado em DC, Pokémon, insetos e abraços apertados.

More in Tech

Smartphone de Evangelion será lançado esse ano.

Tatsumi D21 outubro, 2015
Microsoft Hololens

Hololens impressiona em apresentação.

Tatsumi D7 outubro, 2015

Universo de Star Wars em Realidade Virtual

Pedro Prallon15 junho, 2015

Tá Grudado, Tá Glued!